Certificado Cadastur - Ministério do Turismo do Brasil - 26.064298.80.0001-2

Pesquisa mostra que mulheres têm medo de andar de bicicleta em SP

  • 21/08/2017

Segundo levantamento feito pela associação Ciclocidade, apenas 6% das mulheres andam de bicicleta.


Até na mobilidade o recorte de gênero é pouco discutido e mesmo assim, as informações encontradas apontam a diferença entre o número de homens e mulheres que pedalam por São Paulo: segundo levantamento feito pela associação Ciclocidade, apenas 6% das mulheres andam de bicicleta.

Para entender essa e outras questões, em 2015 foi criado um Grupo de Trabalho de Gênero na associação. A pesquisa "Mobilidade por bicicleta e os desafios das mulheres de São Paulo" foi coordenada pela Letícia Lemos, Marina Harkot e Priscila Costa.

Junto a uma equipe, elas entrevistaram 334 mulheres, sendo 128 ciclistas e 206 não ciclistas, em todas as 32 subprefeituras do município entre 27 de junho e 15 de julho de 2016. A meta foi traçar o perfil e principais desafios que elas enfrentam ao usar o modal como meio de transporte na cidade.

Dos problemas listados, foi constatado que 27% das mulheres têm medo de compartilhar a via com carros pela falta de respeito no trânsito, 26% considera o risco de ter colisões, quedas ou atropelamentos e 14% pensa no risco de assalto. O mesmo percentual reclamou da falta de infraestrutura da cidade.

A pesquisa também constatou que 52% das ciclistas afirmaram ter carro, mas optam pela bicicleta como meio de transporte. Os principais destinos delas são trabalho (28%), supermercado (23%) e lazer (23%). Além disso, 28% das ciclistas pedalam todos os dias e 23% usam a bicicleta cinco dias por semana.

Quem mais pedala e usa a bicicleta mais vezes por semana possui renda mais baixa. Ao Vá de Bike, Marina Harkot disse que "isso acontece por falta de alternativa, já que a bicicleta é o meio de transporte sem custo que resta como opção para elas".

Dessas ciclistas, 22% das entrevistadas disseram que o benefício do modal é por ser um meio de locomoção mais rápido, 20% disse que é mais saudável, outras 17% considera mais econômico, seguidas de 12% que acham mais prático e 11% prazeroso.

Mas 21% das mulheres não usam bicicleta por conta das possíveis colisões, quedas e atropelamentos que consideram um risco, 19% têm medo do trânsito ou de compartilhar a via, 15% falaram no risco de assaltos, 8% da falta de infraestrutura cicloviária e 5% disseram que não usam por causa dos assédios.

Por Catraca Livre

Compartilhe

Curta nossa Fan Page

Veja também

Bikers Rio Pardo | Artigo | Exercícios físicos regulares dobram as chances de você chegar aos 85 anos, diz estudo

Exercícios físicos regulares dobram as c...

Pessoas com os mais altos níveis de aptidão física aos 75 anos tiveram mais do que o dobro... veja +

Bikers Rio Pardo | Artigo | SP: Bicicleta significa economia ao SUS e aumento do PIB

SP: Bicicleta significa economia ao SUS...

A saúde dos paulistanos pode melhorar muito se a bicicleta fosse mais utilizada para ir ao... veja +

Bikers Rio Pardo | Artigo | Quer mais tempo, dinheiro e saúde? Vá de bike

Quer mais tempo, dinheiro e saúde? Vá de...

Estudo inédito aponta que ciclistas economizam até 451 reais ao mês, tem 90 minutos livres... veja +

Bikers Rio Pardo | Artigo | Exercício físico faz você mais feliz do que dinheiro, diz novo estudo

Exercício físico faz você mais feliz do...

Novo estudo diz que o exercício físico é mais importante para sua saúde mental do que a su... veja +

ACESSE O SITE

Ainda não possui conta? Clique aqui para se cadastrar!

Esconder

Recuperar senha?

Perdeu a senha? Informe o seu e-mail. Você receberá um link para recuperar a senha.

Mensagem de erro!



Voltar para login

Fechar

Próximo Evento: 2º CICLO AVENTURA - NOVA RESENDE-MG - 09/06/2019

Bikers Rio Pardo | 2º CICLO AVENTURA - NOVA RESENDE-MG