Certificado Cadastur - Ministério do Turismo do Brasil - 26.064298.80.0001-2

Cicloviagem Caminhos do Sul de Minas

  • 11/05/2017

Cicloviagem no Circuito Turístico Caminhos do Sul de Minas, com percurso de 200km, de muitas serras e lindas paisagens, passando pelas cidades mineiras de Itajubá, Maria da Fé, Virgínia, Marmelópolis e Piranguçu.


Ciclistas: Luciano Carneiro, Maria Teresa, Angélica e Paulo Gomes

Cicloviagem no Circuito Turistico Caminhos Sul de Minas

Em meio à desafiadora paisagem da Serra da Mantiqueira, no estado de Minas Gerais, abrem-se os caminhos que sobem da terra às portas do firmamento. Eis o Circuito Turístico Caminhos do Sul de Minas, um lugar repleto de montanhas íngremes, onde a cultura e a hospitalidade do povo são capazes de materializar os sonhos em vivências únicas e enriquecedoras.

Motivados pelo desejo de conhecer mais um pedaço inédito do Brasil, fomos ao Estado de Minas Gerais, para percorrer 200km, transpondo serras, subidas intermináveis, apreciando as mais lindas paisagens da Serra da Mantiqueira.

Saímos da  cidade de Itajubá com destino à Maria da Fé, Virgínia, Marmelópolis, Piranguçu e retornando até Itajubá.

 

Em frente ao hotel em Itajubá, preparando para a saída.

1ª Dia - De Itajubá à Marmelópolis - 100km

Chegamos na cidade de Itajubá por volta das 6hs da manhã, foram 4 horas de viagem de São José do Rio Pardo-SP até o Hotel Oriente, local onde deixamos nosso carro até o retorno. O frio estava congelante. Nosso próximo destino seria a cidade de Maria da Fé, a cidade mais fria de Minas Gerais.

A caminho de Maria Da Fé

 

Começamos a pedalar às 7hs, o caminho passa ao lado de uma antiga estação de trem e a estrada até Maria da Fé é por uma antiga linha de trem. O caminho foi bem tranquilo e agradável com poucas subidas, até chegarmos a um trevo onde dividia o percurso, seguimos sentido ao bairro Pedrão, neste momento tivemos que subir a serra, foram cerca de 4km até um pequeno vilarejo, bem na entrada havia uma antiga estação de trem, seguimos por uma estradinha ao lado da estação, com muita sombra, até que chegamos em um ponto onde a estrada corta os paredões de pedra da serra, um local maravilhoso.

Serra para chegar ao bairro Pedrão

Paredões de pedra Bairro Pedrão

 

Pedalamos mais alguns kms, e logo começamos a descer a serra, já era possível avistar a cidade de Maria da Fé. A cidade fica uma altitude de 1258 metros, com cerca de 15.000 habitantes. A cidade é conhecida como a mais fria de Minas Gerais, podendo chegar a temperaturas negativas durante o inverno.

Foto em Maria da Fé

Fizemos uma parada para um café e logo partimos, passamos pelo portal da entrada da cidade e seguimos sentido a Pintos Negreiros, distrito de Maria da Fé, com pouco mais de 1600 habitantes, que ficara no alto da serra. O caminho até o distrito foi com muitas subidas. No topo da serra começamos uma descida muito ingreme, a paisagem era fascinente! Adentramos no bairro de Pintos Negreiros, eram por volta das 13hs, paramos somente para abastecer nossas caramanholas.

Passando pelo bairro de Pintos Negreiros, ao fundo a capela

Seguimos para nosso próximo destino, a cidade de Dom Viçoso, cerca de 10km, logo na entrada da cidade encontramos um pesqueiro, decidimos almoçar ali. Fomos muito bem recepcionados pelo proprietario, o local funcionava tamém como pousada. Dom Viçoco é uma cidade com cerca de 3.000 habitantes. 

Não demoramos muito e estavamos pedalando. O caminho até a próxima cidade já começou com uma fortíssima subida, com muita pedra solta, a cidade ficava pequena entre as montanhas, a paisagem era muito linda! Cerca de 18km depois e duas serras vencidas, chegamos em Virgínia por volta as 16:30hs. A cidade mineira tem aproximadamente 8.900 habitantes.

Subindo a Serra e deixando para trás a cidade de Don Viçoso

Fizemos um lanche rápido, pois ainda tínhamos a pior parte do dia, a subida da serra até a cidade de Marmelópolis. Virgínia fica encravada ao pé da serra e era possível avistá-la bem a nossa frente. Surgiu a dúvida se continuariamos o percurso no mesmo dia, ou encararíamos a subida, decidimos seguir.

Igreja Matriz em Virgínia

Iniciamos a subida da serra. O caminho segiu por uma estrada bastante movimentada, principalmente por motos. O frio começou a se intensificar e colocamos nossos agasalhos, a subida era interminável! O sol se pôs e o anoitecer chegou, acendemos o farol. Depois de uma subida interminável de 10km vencemos a serra, o frio era muito, colocamos as bandanas no rosto, as mãos e os pés estavam "congelando", um frio que nunca tinha passado antes. Depois de 15kms, quase chegando na cidade tivemos uma bike com a corrente estourada, decidimos empurar até a cidade. 

Adentramos em Marmelópolis e fomos muito bem recebcionados por um ciclista que estava num bar e nos conduziu para uma pousada a Pousada das Flores, onde fomos muito bem recebidos, que por sinal indico a pousada a todos.

Marmelópolis tem cerca de 3000 habitantes, fica encravada na Serra da Mantiqueira próxima a grandes elevações como o Pico dos Marins (2.422 m), um dos pontos mais altos da serra, e o Pico do Marinzinho (2.393 m). É também considerada uma das cidades mais frias de Minas Gerais.

Informações

 

2ª Dia - Marmelópolis  à  Wenceslau Braz - 56 km 

Depois de uma ótima noite de sono e recuperados do frio do dia anterior, neste dia decidimos sair mais tarde para pedalar, por volta das 9hs.

Marmelópolis fica para trás

Despedimos do casal da pousada (desculpe mas não recordo o nome) e já pegamos a estrada que ficava bem em frente e seguimos sentido ao Pico do Marins, neste dia seria o dia de maior altitude alcançada, quase 1.800 metros. Depois de 3km percorrido de subida, era possível avistar uma enorme montanha em nossa frente, maciço de montanhas onde fica o Pico do Marins, paramos para uma foto (foto de capa da cicloviagem).

O maciço do Pico dos Marins ao fundo

Logo depois de uma forte descida, iniciamos a subida da serra, abastecemos nossas caramanholas em uma chácara e seguimos até um trevo para onde dividia o percurso, um levando até o acampamento base do Pico do Marins e descida da serra para a cidade de Piquete e a outra que descia a serra para a cidade de Delfim Moreira, e assim fizemos, iniciamos uma forte descida em meio a serra, com muitas curvas e pedras soltas. Finalizamos a descida próximo ao asfalto que já ligava até a cidade de Delfim Moreira. Fizemos uma parada na cidade para um almoço, eram por volta das 13hs. Delfim Moreira tem uma população de 7.900 habitantes e se destaca no cenário turístico pelas suas belas cachoeiras e paisagens.

Partimos logo, nosso próximo destino seria a cidade de Wenceslau Braz. Seguimos por uma estradão até cairmos no asfalto, a estrada proseguia do outro lado. Depois de algumas subidas em meio a eucalíptos, saimos novamente no asfalto e depois de aprocimadamente 5 km de sobe e desce, iniciamos a descida da serra numa descida alucinante de 15km até adentramos na cidade de Wenceslau Braz por volta das 15hs, a cidade é muito pequena, com aproximadamente 2.700 habitantes, cortada pela rodovia. Nosso dia de pedal terminava, foi bem tranquilo, finalmente iríamos descansar um pouco mais do que o habitual. 

Pousada Castelinho em Wenceslau Braz

Já na entrada da cidade avistamos a Pousada Castelinho, a pousada faz juz ao nome se destacando de longe. Depois de certo tempo tocando a campainha, fomos informados que os donos da pousada não estavam e que podíamos entrar e ficar a vontade, pois a chave ficava escondida na entrada, coisas que somente acontecem no interior, e assim fizemos, nos acomodamos na pousada, que aliás é muito limpa e aconchegante. Depois de um banho fomos dar uma volta na cidade e jantar e na chegada fomos muito bem recebidos pelo dono da pousada. 

Informações

 

3ª Dia - Wenceslau Braz à Itajuba - 45 km 

Acordamos cedo e partimos exatos 7 da manhã. Seguimos por asfalto cerca de 5km até iniciarmos o trajeto por terra, pela BR 383, rodovia federal não pavimentada, que sai de Campos do Jordão até Piranguçu e Wenceslau Braz, em outra oportunidade já fizemos o percurso de Campos de Jordão por ela, até próximo a cidade de Piranguçu.

A caminho de Piranguçu

O caminho foi bem tranquilo, com algumas subidas curtas, numa estrada bem movimentada e com muitas moradias e chácaras. Depois de 20km adentramos em um distrito com algumas casas, paramos para tomarmos um açai, pois sabíamos que o pior esta por vir. Seguimos até um trevo onde fazia limite de município com Campos do Jordão, seguimos para direita, sentido à serra e já de cara avistamos a placa "Piranguçu a 8km - somente 4x4 ou moto", já imaginavamos que não seria fácil.

Subida do defunto

A subida era muito forte, com muita inclinação, o que nos obrigou a colocar bastante força para subirmos, em alguns pontos não era possível pedalar, devido a poeira no chão, o visual era incrível! A subida foi muito dura, cerca de 3km, a qual fiquei sabendo depois pelo Strava que o nome dela é "Subida do Defunto".

Mar de montanhas a nossa frente

Vencida a subida a vista era maravilhosa, um mar de montanhas à nossa frente! Paramos para algumas fotos e iniciamos uma forte descida, dificultada pela poeira no chão que deslizava muito os pneus da bicicleta, descemos caltelosamente em meio às montanhas. Depois de aproximadamente 8km, era possível avistar a cidade de Piranguçu, cidade bem pequena com 5.000 habitantes, fizemos um rápido lanche, era por volta de meio dia. Partimos rumo Á itajuba, a partir dali prosseguimos por asfalto, cerca de 18km. 

Em Piranguçu

Chegamos ao nosso ponto de saída, Itajubá, por volta das 13hs. 

 

Informações

 

Informações sobre o Circuito Turístico Sul de Minas

http://www.caminhosdosuldeminas.com.br 

Compartilhe

Curta nossa Fan Page

Imagens

ACESSE O SITE

Ainda não possui conta? Clique aqui para se cadastrar!

Esconder

Recuperar senha?

Perdeu a senha? Informe o seu e-mail. Você receberá um link para recuperar a senha.

Mensagem de erro!



Voltar para login

Fechar

Próximo Evento: 8º Pedal Sport PURA VIDA - Poços de Caldas - 23/09/2018

Bikers Rio Pardo | 8º Pedal Sport PURA VIDA - Poços de Caldas